Úlcera de Pressão

As úlceras por pressão são feridas que ocorrem em função da falta de oxigenação na superfície da pele, gerada por compressão prolongada em pacientes internados ou acamados por longos períodos (conhecidas popularmente como escaras). Essas lesões afetam significativamente a qualidade de vida desses pacientes e se não tratadas adequadamente, podem aumentar o risco de mortalidade do mesmo.

O local acometido geralmente apresenta uma temperatura elevada, coloração avermelhada e sensibilidade ao toque. Em situações mais graves, pode ocorrer o rompimento da pele, ocasionando uma ferida que pode evoluir para uma infecção. Normalmente, os locais mais afetados são áreas onde há proeminência óssea, ou seja, entre a parte final da coluna e início do cóccix, no calcanhar e na parte superior do fêmur.

Entretanto, pernas, pés, glúteos, costas e cotovelos também podem ser afetados pelas úlceras por pressão. Uma vez que as elas têm causa multifatorial, é importante que sejam adotadas medidas de prevenção e que a equipe de saúde esteja atenta a todos os cuidados necessários. Entretanto, quando a prevenção não for suficiente, é indispensável adotar medidas para o tratamento das feridas.

A Fototerapia com uso da luz Led é uma excelente opção de tratamento, trata-se de uma técnica não invasiva, não medicamentosa e sem efeitos colaterais, capaz de diminuir muito o tempo de tratamento.

Protocolo de tratamento

Em casos de equimoses em que a área fica avermelhada e dolorida, basta realizar de 2 a 3 aplicações semanais de luz vermelha na região estimulando assim o retorno da circulação. Nos casos de feridas de abertas aplicar nas bordas da ferida 40 segundos por ponto. Aplicar tantos pontos quanto necessário em todo o perímetro da ferida até sua completa cicatrização. A luz vermelha estimulará a microcirculação, estimulará células a liberarem mediadores anti-inflamatórios, corrige a acidose local e edema restabelecendo condições de normalidade facilitando a cicatrização mesmo em meios altamente contaminados. A associação do azeite ozonizado nas trocas de curativos é bem recomendado no controle bacteriológico, impede que o curativo possa aderir no tecido de granulação neoformado.

Dúvidas? Entre em contato conosco!

Escrito por Dr. Luis A. Conrado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *