Lombalgias

Lombalgia é uma dor que irradia na região lombar inferior da coluna vertebral. Como existe um grande número de estruturas na coluna (ligamentos, tendões, músculos, ossos, articulações, disco intervertebral) há inúmeras causas diferentes para a dor. Somando-se a isso há inúmeras doenças sistêmicas não reumatológicas podem manifestar-se com dor lombar.

A maioria das dores lombares é causada pelo “mau uso” ou “uso excessivo” das estruturas da coluna (resultando em entorses e distensões), esforços repetitivos, excesso de peso, pequenos traumas, condicionamento físico inadequado, erro postural, posição não ergonômica no trabalho e osteoartrose da coluna (com o passar do tempo, as estruturas da coluna vão se desgastando, podendo levar à degeneração dos discos intervertebrais e das articulações).

Outras causas incluem doenças inflamatórias como a espondilite anquilosante, infecções, tumores, etc. O médico tem papel fundamental no diagnóstico e necessita sobretudo de uma história detalhada da dor além de solicitações de exames de imagens, fatores associados e um exame físico meticuloso para um correto diagnóstico. O objetivo inicial do tratamento é o alívio da dor e da inflamação associada.
Para o tratamento podem ser usadas várias medicações incluindo analgésicos, anti-inflamatórios, miorrelaxantes, corticóides e opióides, etc. Este tipo de medicação tomada por tempo prolongado causam inúmeros efeitos colaterais com péssimos resultados a saúde.

A Fototerapia com Leds é um excelente adjuvante neste tipo de tratamento, trata se de uma técnica não invasiva sem efeitos colaterais que estimula o próprio corpo a se auto recuperar, pode ser usado associada com outras técnicas de fisioterapia. A luz vermelha do Led penetra profundamente nas estruturas, estimula as células da região a liberarem seus ativos no controle do edema da dor e inflamação de forma natural restabelecendo condições de normalidade e seu retorno as suas atividades muito mais rápido sem efeitos colaterais.

Dúvidas? Entre em contato conosco.

Escrito por Dr. Luis A. Conrado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *