TRATAMENTO POR LASERTERAPIA

Histologia da laserterapia

Os estudos para tratamento por laserterapia tiveram diversas evidências no que diz respeito aos efeitos bioestimulatórios da laserterapia de baixa intensidade, que têm sido descritas em décadas anteriores (desde 1960 até 90). A partir disto inúmeros estudos têm sido conduzidos para estabelecer sua eficácia.

 

Para alguns autores, como Aimbire F, Albertini R, Pacheco MT, Castro-Faria-Neto, entre outros, o laser tem sido usado para acelerar o reparo de diferentes tecidos.

 

A fototerapia a laser é um importante adjuvante nos tratamentos médicos, pois estimula o próprio organismo a sintetizar hormônios e enzimas já existentes que, por falta de estímulos, não eram sintetizados. Além disso, vêm nos auxiliar a minimizar custos de tratamento, tempo de internação e efeitos colaterais por uso de medicamentos por tempo prolongado. 

 

Em uma revisão de literatura sobre os estudos da laserterapia, diferentes doenças puderam ser tratadas e terem resultados positivos conforme o tempo. Através do tratamento por laserterapia, diversas doenças passaram a ser tratadas sem nenhum efeito colateral significativo:

  1. Doenças do sistema respiratório (Asma, alterações desencadeadas pelo fumo). 

  2. Diabetes e suas complicações 

  3. Doenças inflamatórias 

  4. Doenças Cardiovasculares (infarto e angina) 

  5. Doenças do sistema vascular periférico e cicatrização em geral.

 

Diferença entre o tratamento de laserterapia e de LED

 

Através de evidências científicas encontradas em diferentes estudos, a fototerapia a laser e a LED são predominantemente eficazes no processo de recuperação de lesões musculares, tratamento de inflamações, feridas e problemas na pele, entre outras enfermidades. Entretanto os parâmetros utilizados na terapia devem ser adequados para o sucesso da técnica. Os lasers de baixa potência, entretanto, têm algumas características que fazem seu uso clínico problemático em aplicações grandes áreas, como tempo de aplicação demorado, potência óptica limitada, diâmetro de feixe pequeno entre 1 a 2 mm.
 

A empresa Bios indústria observando esta necessidade, desenvolveu os equipamentos com base de radiação à LED, o Bios Therapy II e Bios Therapy X. Os LEDs se apresentam como uma alternativa ao uso de laser de baixa potência, pois proporcionam resultados terapêuticos semelhantes, com amplas vantagens, pois podem tratar grandes áreas, como, com uma exposição de tempo menor com um baixo custo operacional.

 

Segue algumas das principais características do modelo Bios Therapy II com luz led vermelha:

  • Comprimento de onda 630nm;

  • Potência 300mw;

  • Densidade de energia 3 joules a cada 10 segundos;

  • Diâmetro de feixe sem ponteira 1,3 cm²;

  • Diâmetro de feixe com fibra óptica 0,7 cm²;

  • Portátil.

 

Segue algumas das principais características do modelo Bios Therapy X com luz led vermelha e infravermelha:

  • Comprimento de onda 650nm e 940nm;

  • Potência total de 1000mw;

  • Possui 6 luzes vermelhas e 4 infravermelhas;

  • Densidade de energia 10 joules a cada 10 segundos;

  • Diâmetro de feixe 24 cm²;

  • Funciona direto na fonte. (ligado na tomada)

 

O tempo de exposição depende da área afetada, pode variar de apenas alguns segundos para mais de 1 minuto. Há diferentes ondas de LED, além de cores, como verde, azul, laranja e roxo, além do vermelho. Conheça com mais detalhes sobre os benefícios dos aparelhos de LED para tratamento de diversas doenças e entre em contato conosco.

ENDEREÇO

 

Rodovia Presidente Dutra, km 138, C.E II - sala 1202 - 12247-004 - São José dos Campos-SP

CONTATOS

 

Telefone: +55 (12) 3876-7713

Celular:+55 (12) 98211-9602

comercial@biosind.com.br

  • Facebook
  • Instagram

© Agência Happier, 2020