TRATAMENTO PARA TELANGECTASIAS

As telangiectasias ou vasinhos são pequenos capilares localizados na pele, muito finos, ramificados, em geral de coloração avermelhada, constituídas de microfístulas arteriovenosas. Ocorrem devidas a uma má drenagem capilar da pele para o tecido celular subcutâneo. São também chamados “spider veins” pelo padrão tipo teias de aranha e, na grande maioria das vezes, causam distúrbios apenas do ponto de vista estético, sendo um problema que atinge mais a auto-estima do paciente.

O tratamento através da fototerapia atua com uma ação ainti inflamatória e de vaso dilatação permitindo uma melhor drenagem, descongestionando a região restaurando a estética local.

ANTES E DEPOIS:

Promover a limpeza da pele, realizar procedimentos estéticos convencionais com cremes clarificantes ou peeling. A interação da luz vermelha com a pele apresenta uma ação anti inflamatória controla o edema causada pela irritação dos ácidos tópicos aplicados para a realização de peeling, apresenta uma ação analgésica amenizando o pós operatório alem de estimular o colágeno de forma sustentável e duradoura dando uma maior sustentação para a pele. Programar o aparelho Bios Therapy ll com 30 seg, aplicar tantos pontos quanto necessário para cobrir toda a área manchada, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 seções ou até sua completa eliminação.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Promover a limpeza da pele, realizar procedimentos estéticos convencionais com cosméticos e massagens localizadas.

Programar o aparelho Bios Therapy ll com 30 seg, aplicar tantos pontos quanto necessário para cobrir toda a área, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

 

ALOPECIA

Irradiar o couro cabeludo por 10 minutos diariamente ou pelo menos 3 vezes pó semana. Certifique se de que o cabelo não esteja na frente da luz.

Resultados esperados – controle da inflamação, melhor irrigação e oxigenação do bulbo capilar, o fio devera se fixar melhor e engrossar

 

TRATAMENTO CONTROLE DO ENVELHECIMENTO PRECOCE TELANGECTASIAS

O envelhecimento da pele pode ser acelerado conforme nossa qualidade de vida. As reações químicas do nosso corpo deixam resíduos chamados de radicais livres e toxinas, que são formados continuamente em nosso corpo, podendo piorar com a alimentação desregrada, poluição, cigarro, álcool, exposição ao sol, etc.

A fototerapia através da interação da luz na região do vermelho e infravermelho com os tecidos favorecem a drenagem destas toxinas, estabilizam o pH, estimulam a permeabilidade da membrana celular, facilitando a troca de metabólicos e as mitocôndrias na formação do ATP, estimulando assim a síntese de colágeno e elastinas de forma natural e sustentável.

Segundo a Academia Americana de Dermatologia (AAD), o envelhecimento faz com que células da pele produzam uma quantidade excessiva de radicais livres, moléculas instáveis ​​de oxigênio – que, sob ideal circunstâncias, são removidos por antioxidantes naturais no interior das células da pele. Com o envelhecimento de células da pele, os antioxidantes são escassos. Os radicais livres gerados são deixados e danos ocorem na membranas celulares, proteínas e DNA. Estes radicais livres eventualmente, quebrão substância de proteína no tecido conjuntivo (colágeno) e liberam substâncias químicas que causam a inflamação na pele. É uma combinação destes eventos celulares e moleculares que leva ao envelhecimento da pele e formação de rugas.

A medida que ficamos mais velhos cada camada da pele cresce mais fina, e a camada superior da pele, estrato córneo, torna-se áspero.

 

O colágeno é uma das substâncias que dá a nossa pele sua elasticidade juvenil e tonus, mas é também especialmente suscetíveis a danos causados ​​por radicais livres. Normalmente, as moléculas de colágeno “slide” uns sobre os outros, o que dá a sua pele suavidade e elasticidade. Mas depois de terem sido danificados tornam-se rígidas, inflexíveis e a pele tem aspecto envelhecido.

ANTES E DEPOIS:

A foto mostra fotoenvelhecimento causado pelo sol. Área mais clara protegida pelo véu corresponde a pele normal não agredida pelos raios UV dos sol. De acordo com o Instituto National do Envelhecimento, o envelhecimento é acelerado pela exposição ao sol e gravidade (flacidez pele). Além disso, a pele é facilmente danificados por fatores externos, como sol, poluição, sabões ásperos , produtos químicos e por causas internas, como a fumaça de cigarro e dieta.

A Fototerapia pode aumentar a oxigenação e a nutrição das células e acelerar a excreção de toxinas e radicais livres na hipoderme, incrementando a produção de colagénio em até cinco vezes. O colágeno é a proteína responsável por manter a elasticidade da pele e a firmeza, também é responsável por reparar células danificadas da pele. Portanto, a terapia da luz vermelha pode efetivamente melhorar a aspereza da pele, textura, linhas finas, rugas e reduzir a inflamação em acne por ex.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Promover a limpeza da pele, realizar procedimentos estéticos convencionais com cosméticos e massagens localizadas.

Programar o aparelho Bios Therapy ll com 30 seg. Dividir a região comprometida em um quadrante imaginário, aplicar tantos pontos quanto necessário para cobrir cada quadrante e ou toda a área, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

Em técnicas associadas como o peeling químico, a laser ou abrasivos, realizar aplicações de luz Led imediatamente atenuando as sintomatologias como dor, edema e inflamação, acelera a formação de colágeno devolvendo a suavidade e elasticidade a pele.

 

TERAPIA FOTODINÂMICA

Entende-se como terapia fotodinâmica ou PDT (Photo Dynamic Therapy), como um novo e eficaz tratamento de certos tumores de pele incluindo carcinomas e lesões pré malignas. O tratamento consiste na aplicação de um creme especial (contendo ingrediente methylaminolaevulinate ou MAL, conhecido como Metvix) um procedimento no qual uma droga fotossensível não tóxica é administrada em um organismo, sendo posteriormente excitadas por uma fonte de luz na região do vermelho, induzindo as células a uma apoptose com a presença da luz, pela formação de oxigênio singleto.

O uso de moléculas fotossensibilizadoras, quando expostas a uma fonte de luz específica, captam e transferem energia para as moléculas vizinhas de oxigênio, produzindo-se assim compostos eletronicamente excitados, chamados de radicais livres, ou oxigênio singlet pela sua capacidade de produzir dano e morte celular.

As drogas fotossenssíveis podem ser administradas via endovenosa, tópica ou infiltrativa. Quando injetadas em um organismos, tem predileção por tecidos com grande atividade metabólica ou mitótica, concentrando-se onde se está desenvolvendo um tumor, um quelóide, uma degeneração ou onde esteja uma grande proliferação de vírus ou bactérias. Esta indicada na terapia de tumores neoplásicos, malignos ou não, baso celulares, áreas de quelóides, feridas e tumores em órgãos ocos tumores como no esôfago, traquéia reto etc.

Entre os fotossensibilizadores existente no mercado, os mais empregados são o Photogen, o Photofrin, e o Photoscan, todos injetáveis e derivados de hematoporfirinas. Existem ainda os cremes e os sais de ALA(acido Amino Levulínico). Metivix, pasta tópica já encontrada no mercado, já bastante utilizada.

O Azul de Metileno – composto pouco tóxico, barato e de fácil obtenção – segundo Boehncke e cols., mostra um efeito marcadamente mais forte na presença de uma fonte de luz com absorção máxima no espectro do vermelho (600-700nm).

Pelo fato de células tumorais captarem o corante com maior avidez que as dos tecidos normais e pela sua baixa toxicidade, este procedimento pode, portanto, ter larga aplicabilidade para o tratamento de tumores acessíveis à injeção da substância fotossensibilizante e à sua posterior exposição à fonte luminosa, como por exemplo, tumores de esôfago, brônquios, pele, etc.

Também é possível realizar a Terapia Fotodinâmica em bactérias, no controle microbiológico bastando corar a ferida contaminada com o azul de metileno e irradiar com uma dosagem acima de 100j/cm². Esta técnica poderá ser bastante eficiente com efeito bactericida de feridas altamente contaminadas. A intensidade da fonte de luz é muito importante na ativação da droga e até o momento esta técnica não foi muito difundida pelos altos custos das fontes de luz e da liberação para o uso das drogas fotossensíveis.

Algumas vantagens:

Terapia simples

  • Evita internações prolongadas

  • Evita mutilações cirúrgicas

  • Preserva estruturas sadias

  • Pós operatório mais rápido

  • Possibilita aplicações repetidas

  • Minimiza os efeitos colaterais de outras técnicas.

 

ENVELHECIMENTO

Fototerapia propicia uma melhor oxigenação dos tecidos, melhora da drenagem, correção do Ph e estimulo mitocondrial.

Aplicações de 40 seg por ponto, pacote de 10 seções.

Resultado – estimulo de colágeno e atenuação de rugas.

 
TRATAMENTO DE ESTRIAS

Proceda micro abrasão sobre as estrias e irradie a região com pontos de 40 segs.

Resultados – controle da inflamação, melhora da circulação, estimulo de colágeno

 

TRATAMENTO PARA ACNE

É desencadeada por inflamação das glândulas sebáceas. É um dos problemas dermatológicos mais comuns, afeta 80% dos adolescentes e pode persistir até a idade adulta. A acne não é sempre igual.

Alguns casos são mais graves, com formação de abcessos, cistos e nódulos, porém até mesmo a acne “simples” grau I e II necessitam de atenção e acompanhamento adequados, precisam de cuidados especiais, para evitar cicatrizes, com acompanhamento de um dermatologista, juntamente com o trabalho auxiliar da esteticista, comprovando-se que são obtidos ótimos resultados com a Fototerapia Laser/Led, podendo ser associados a cosméticos Serun Acne, Loção Normalizadora, Argila Enriquecida-Terapia Ortomolecular e aparelho adjuvantes se for o caso.

A fototerapia com luz vermelha tem um efeito anti inflamatório analgésico e cicatrizante, equilibra o pH da região e estimula a micro circulação e o sistema imunológico, modifica as condições nutricionais da região inibindo a proliferação de bactérias favorecendo a cicatrização em um tempo curto evitando possíveis cicatrizes.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Promover a limpeza da pele, realizar procedimentos estéticos convencionais com cosméticos e massagens e drenagem localizadas.

Programar o aparelho Bios Therapy ll com 30 seg, aplicar tantos pontos quanto necessário para cobrir toda a área, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

 

LIPO SEM CIRURGIA E CONTROLE DA CELULITE

Lipo sem cirurgia é a modelagem do corpo, deixando-o com os contornos desejados através da remoção da gordura localizada dos locais indesejáveis (barriga, culote, braço, celulite, etc).

O procedimento da lipo para a redução da gordura localizada ou celulite é realizado com terapias combinadas dos efeitos da Fototerapia e do ultra-som para quebra das moléculas da gordura, endermo terapia a vácuo ou massagem local.

A interação da luz com os tecidos propicia a liberação do óxido nítrico capaz de dilatar vasos linfáticos permitindo a drenagem linfática de forma natural propiciando a diminuição de medidas pelo controle hídrico local estabelecendo condições nutricionais para as células da região, estimulando a formação de colágeno e elastina.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

- Promover a limpeza da pele, realizar procedimentos estéticos convencionais com cosméticos anticelulítico a base de cafeína e massagens localizadas.

- Programar o aparelho Bios Therapy ll com 30 seg, aplicar tantos pontos quanto necessário para cobrir toda a área, com o bocal do aparelho em contato com a pele, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

- Pós lipo aspiração, controle do edema.

- Resultado pós cirúrgico de lipo aspiração e redução de mama.

- Aplicação de tantos pontos necessários para cobrir toda a área com exposição de 40 segs por ponto.

- Realizar conjuntamente manipulação mecânica de lipo escultura.

 

Resultados – Controle do edema, controle da inflamação, controle da dor, estimulo de colágeno e controle das aderências, fibroses e queloides.

Redução de mama

Fototerapia realizada em cicatriz pós operatória somente do lado esquerdo em 2 pontos de 40 segs.

Mama direita teve somente pós operatório convencional, notar cicatriz formada na área não tratada com fototerapia.

 
RECIDIVAS OPERATÓRIAS

Reação inflamatória pós preenchimento com ácido hialurônico.

Irradiar toda a área com tempo de 40 seg por ponto.

Resultado após 60 dias, controle da inflamação controle da fibrose minimizou a cicatriz mesmo em área de necrose.

 
TRATAMENTO DE MANCHAS

As manchas de pele são uma grande fonte de incômodo para homens e mulheres que buscam uma aparência mais jovem e saudável. As mais comuns são marcas de espinha, sardas e manchas causadas por gravidez. Essas manchas podem ser evitadas pela prevenção ou apagadas por meio de tratamentos. Um tratamento muito comum e eficiente para manchas de pele envolve o uso de medicamentos e cosméticos tópicos com princípio ativo a base de hidroquinona associado a fototerapia.

O tratamento é considerado como um solução rápida para clarear a pele, além de diminuir as manchas causadas por exposição ao sol: melasmas, cloasmas e hiperpigmentações pós-inflamatórias causadas por acne e pós-peeling.

Protocolo de Tratamento

Promover a limpeza da pele, realizar procedimentos estéticos convencionais com cremes clarificantes ou peeling. A interação da luz vermelha com a pele apresenta uma ação anti inflamatória controla o edema causada pela irritação dos ácidos tópicos aplicados para a realização de peeling, apresenta uma ação analgésica amenizando o pós operatório alem de estimular o colágeno de forma sustentável e duradoura dando uma maior sustentação para a pele. Programar o aparelho Bios Therapy ll com 30 seg, aplicar tantos pontos quanto necessário para cobrir toda a área manchada, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 seções ou até sua completa eliminação.

Proceder peeling com ácidos fracos

Irradiar a área com 40 seg por ponto no pós peeling.

Resultados clarificação do melasma , estimulo de colágeno melhora da qualidade da pele.

 
ARTRITE E ARTROSE

Artrite:

A artrite é um processo inflamatório que se manifesta nas articulações, tendo como consequência, alguns sinais e sintomas (inchaço nas articulações, rigidez, dor) decorrentes de lesões articulares. Sua evolução é dolorosa com limitação de função ou a deformidade.

Artrose:

A artrose, também chamada de osteoartrite, osteoartrose ou artrite degenerativa, é uma artrite que ocorre por degeneração das cartilagens das articulações. A cartilagem é um tecido que serve como “almofada” ou “amortecedor” entre dois ossos.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Programar o aparelho Bios Therapy ll com 60 seg, aplicar na região articular comprometida, procurar seguir as regiões anatômicas para realizar as aplicações, usar a ponteira do aparelho com uma ligeira pressão sobre a pele, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 a 20 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

 

MECANISMOS DE AÇÃO DA FOTOTERAPIA

 

  • Estimula o metabolismo celular com maior síntese da ATP nas mitocôndrias

  • Maior suprimento sanguíneo por vaso dilatação da região irradiada, ativando a microcircurlação arterial e neovascularização

  • Maior fluxo venoso e linfático- diminui edemas

  • Maior síntese protéica (colágeno)

  • Acelera divisão celular

  • Acelera crescimento epitelial

  • Diminui inflamação tecidual

  • Apresenta ação analgésica importante pela síntese de endorfinas e serotoninas pelas plaquetas locais

  • Minimiza o uso de medicamentos prolongados e de seus efeitos colaterais

  • Reintegra o paciente mais cedo as suas atividades.

 
DORES ARTICULARES

Geralmente estão associadas a um processo inflamatório nas articulações podem ser decorrentes de traumatismos, sobrecarga, luxações, alterações anatômicas das articulações ou desequilíbrios musculares.

Geralmente estão associadas a um processo inflamatório nas articulações podem ser decorrentes de traumatismos, sobrecarga, luxações, alterações anatômicas das articulações ou desequilíbrios musculares.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Programar o aparelho Bios Therapy ll com 60 seg, aplicar na região articular comprometida, procurar seguir as regiões anatômicas para realizar as aplicações, usar a ponteira do aparelho com uma ligeira pressão sobre a pele, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 a 20 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

Programar o aparelho Bios Therapy ll com 60 seg, aplicar na região articular comprometida, procurar seguir as regiões anatômicas para realizar as aplicações, usar a ponteira do aparelho com uma ligeira pressão sobre a pele, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 a 20 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

 

MECANISMOS DE AÇÃO DA FOTOTERAPIA

Estimula o metabolismo celular com maior síntese da ATP nas mitocôndrias

  • Maior suprimento sanguíneo por vaso dilatação da região irradiada, ativando a microcircurlação arterial e neovascularização

  • Maior fluxo venoso e linfático- diminui edemas

  • Maior síntese protéica (colágeno)

  • Acelera divisão celular

  • Acelera crescimento epitelial

  • Diminui inflamação tecidual

  • Apresenta ação analgésica importante pela síntese de endorfinas e serotoninas pelas plaquetas locais

  • Minimiza o uso de medicamentos prolongados e de seus efeitos colaterais

  • Reintegra o paciente mais cedo as suas atividades.

 
PÓS CIRÚRGICO DE LIGAMENTO CRUZADO DE JOELHO

A reabilitação funcional do joelho é um dos principais fatores que contribui para o sucesso da cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado anterior (LCA).

A evolução tecnológica dos materiais para fixação do enxerto, combinada às propriedades biomecânicas similares que os enxertos autógenos mais comumente utilizados, têm permitido programas de reabilitação mais agressivos, seguros e que possibilitam ao paciente um retorno mais rápido e eficiente às atividades esportivas e de lazer, sem as complicações comumente associadas aos longos períodos de imobilização.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

  • FASE I (1º SEM): OBJETIVO – CONTROLE DA DOR E EDEMA

  • Repouso relativo

  • Exercícios isométricos para quadríceps

  • Marcha com muletas e carga parcial

  • FOTOTERAPIA: Programar o aparelho Bios therapy ll com 60 seg, aplicar 3 pontos sobre a sutura anterior e 2 pontos do lado direito e 2 pontos do lado esquerdo, repetir esta operação diariamente na primeira semana e 3 vezes por semana nas semanas subsequentes. Avaliações da evolução poderão ser acompanhadas por ultrassom ou ressonância magnética. O tratamento poderá ser iniciado assim que o paciente for para a recuperação, esperamos assim controlar o edema, a dor e a inflamação, acelerando as etapas de sua recuperação.

 

  • FASE II (2º A 4º SEMANA): OBJETIVO – GANHAR ARCO DE MOVIMENTO (MÍNIMO DE 0º A 90º)

  • 2º semana: exercícios isométricos, flexão ativa (em prono ou sentado) e mobilização da patela

  • 3º semana : inicia bicicleta estacionária sem carga

  • 4º semana : acrescenta ½ kg de carga nos exercícios isométricos

  • FOTOTERAPIA: Manter protocolo anterior 3 vezes por semana.

 

  • FASE III (2º A 4º SEMANA): OBJETIVO – GANHAR ARCO DE MOVIMENTO (MÍNIMO DE 0º A 90º)

  • 2º semana: exercícios isométricos, flexão ativa (em prono ou sentado) e mobilização da patela

  • 3º semana : inicia bicicleta estacionária sem carga

  • 4º semana : acrescenta ½ kg de carga nos exercícios isométricos

  • FOTOTERAPIA: Manter protocolo anterior 3 vezes por semana.

  • FASE IV (3º E 4º MESES): OBJETIVO – INCENTIVAR GANHO MUSCULAR E PROPRIOCEPÇÃO

  • Início das atividade em academia de ginástica

  • Exercícios de cadeia cinética fechada – bicicleta, “leg press”, mesa flexora, “stepper”, cadeira imaginária e propriocepção.

  • Exercícios isométricos

  • FOTOTERAPIA: Manter protocolo anterior 3 vezes por semana.

  •  

  • FASE V (APÓS 4 MESES): TREINAMENTO DOS EXERCÍCIOS DE IMPACTO

  • Inicia corrida progressiva (esteira ou pista)

  • Alongamentos gerais

  • FOTOTERAPIA: Manter protocolo anterior 3 vezes por semana.

  •  

  • FASE VI (APÓS 6 MESES): TREINAMENTO ESPORTIVO E PROGRAMA DE MANUTENÇÃO.

  • Exercícios aeróbicos e localizados

  • Incentivado o treinamento esportivo sem competição

  • FOTOTERAPIA: Manter protocolo anterior 3 vezes por semana, sua avaliação poderá se feita com auxílio do eletrofibromiografo e carga de força. O objetivo é determinar através de gráficos as tentativas de atingir um determinado alvo previamente determinado através de uma série de exercícios simulados. A evolução nos acertos do alvo avaliados mensalmente determina com segurança o retorno saudável de suas atividades esportivas em um menor tempo de pós-operatório.

     

  • MECANISMOS DE AÇÃO DA FOTOTERAPIA

  • Estimula o metabolismo celular com maior síntese da ATP- adenosina trifosfato- nas mitocôndrias- força celular.

  • Maior suprimento sanguíneo por vaso dilatação da região irradiada, ativando a microcirculação arterial e neovascularização.

  • Maior fluxo venoso e linfático- diminui edemas

  • Maior síntese protéica (colágeno)

  • Acelera divisão celular

  • Acelera crescimento epitelial

  • Diminui inflamação tecidual

  • Apresenta ação analgésica importante pela síntese de endorfinas e serotoninas pelas plaquetas locais

  • Minimiza o uso de medicamentos prolongados e de seus efeitos colaterais

  • Reintegra o paciente mais cedo as suas atividades

 
HERNIA DE DISCO

A coluna vertebral é composta por vértebras, em cujo interior existe um canal por onde passa a medula espinhal ou nervosa. Entre as vértebras cervicais, torácicas e lombares, estão os discos intervertebrais, estruturas em forma de anel, constituídas por tecido cartilaginoso e elástico cuja função é evitar o atrito entre uma vértebra e outra e amortecer o impacto.

Os discos intervertebrais desgastam-se com o tempo e o uso repetitivo, o que facilita a formação de hérnias de disco, ou seja, a extrusão de massa discal que se projeta para o canal medular através de uma ruptura da parede do anel fibroso comprimindo a medula causando parestesias, dor e inflamação.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Manter protocolos fisioterapêuticos para o caso e associar a fototerapia. Programar o aparelho Bios Therapy ll com 60 seg, aplicar na região articular comprometida, procurar seguir as regiões anatômicas para realizar as aplicações, usar a ponteira do aparelho com uma ligeira pressão sobre a pele, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 a 20 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

Aplicar 3 pontos de 60 seg a cada 3 a 5 cm de cada lado da coluna.

Caso haja comprometimento inflamatório de musculatura, fazer bloqueio regional da musculatura comprometida irradiando toda a região.

A interação da luz com os tecidos biológicos induz a uma ação anti-inflamatória e analgésica importante, minimiza o uso de medicamentos prolongados e seus efeitos colaterais, reintegrando em menor tempo o paciente ao convívio social.

Acredita se que este tipo de tratamento possa auxiliar cicatrização da cápsula fibrosa do disco evitando com isto o extravasamento de seu conteúdo e sua compressão a área medular. É bastante importante associar exercícios para fortalecer a musculatura de suporte.

MECANISMOS DE AÇÃO DA FOTOTERAPIA

 

  • Estimula o metabolismo celular com maior síntese da ATP

  • Maior suprimento sanguíneo por vaso dilatação da região irradiada, ativando a microcircurlação arterial e neovascularização

  • Maior fluxo venoso e linfático- diminui edemas

  • Maior síntese protéica (colágeno)

  • Acelera divisão celular

  • Acelera crescimento epitelial

  • Diminui inflamação tecidual

  • Apresenta ação analgésica importante pela síntese de endorfinas e serotoninas pelas plaquetas locais

  • Minimiza o uso de medicamentos prolongados e de seus efeitos colaterais

  • Reintegra o paciente mais cedo as suas atividades

 
DISTENSÃO MUSCULAR

A distensão muscular é provocada pela fadiga do músculo. Com rompimento total ou parcial das fibras musculares. Esta lesão causa dores agudas, inflamação, rompimento de vasos com formação de edema e arrocheamento, perda da força e mobilidade inativando o atleta por algum tempo.

O diagnóstico deste tipo de lesão poderá ser feito por ultrassom e por exame de sangue para identificar níveis de proteína CPK.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Manter protocolos fisioterapêuticos para o caso e associar a fototerapia. Programar o aparelho Bios Therapy ll com 40 seg, aplicar na região muscular comprometida com dor e edema, procurar seguir as regiões anatômicas para realizar as aplicações, usar a ponteira do aparelho com uma ligeira pressão sobre a pele, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

Tratamento bastante indicado na medicina esportiva na recuperação de atletas.

MECANISMOS DE AÇÃO DA FOTOTERAPIA

Estimula o metabolismo celular com maior síntese da ATP

Acelera divisão celular

Promove a neovascularição com maior aporte de sangue arterial a região

Vaso dilatação da região irradiada, facilitando a drenagem linfática diminui edemas e acelera a remoção de toxinas e radicais livre

Maior síntese protéica (colágeno)

Acelera reparação muscular

Diminui inflamação tecidual

Apresenta ação analgésica importante pela síntese de endorfinas e serotoninas pelas plaquetas locais

Controla fibrosamento

Minimiza o uso de medicamentos prolongados e de seus efeitos colaterais

Reintegra o paciente mais cedo as suas atividades.

 
FADIGA MUSCULAR

Durante a atividade física e os exercícios utilizamos a glicose como fonte de energia, com a queima da glicose se forma o ácido lático levando o músculo a fadiga, a dor e a incapacidade de prosseguir com a atividade.

A fototerapia tem demonstrado uma alternativa para melhorar a performance de atletas, a interação da luz com tecidos estimula a micro circulação e favorece a drenagem, facilita a retirada o ácido lático do músculo, melhora a oxigenação local e controla o processo inflamatório de fibras rompidas durante a atividade física.

Com este processo natural do próprio organismo é observado o alívio das dores possibilitando o atleta a um retorno mais cedo de suas atividades.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Manter protocolos fisioterapêuticos para o caso e associar a fototerapia. Programar o aparelho Bios Therapy ll com 40 seg, aplicar na região muscular comprometida com dor e edema, procurar seguir as regiões anatômicas para realizar as aplicações, usar a ponteira do aparelho com uma ligeira pressão sobre a pele, repetir esta operação duas a três vezes por semana.

 
LESÕES DE PELE - ÚLCERAS

sem texto explicativo

 
ESCARAS

Corresponde a uma lesão de pele causada pela isquemia (interrupção sanguínea) em uma determinada área, devido a uma compressão por uma proeminência óssea durante um tempo prolongado. Quando a úlcera de pressão lesão apresenta uma capa necrótica, geralmente escura, recebe o nome de escara.

Nessa fase a lesão avançou e começa a comprometer a pele, causando uma lesão, que pode ser uma bolha ou ainda uma abrasão.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

A Fototerapia é muito bem indicada nas duas fases de forma preventiva à formação de uma úlcera de pressão ou escara. Sempre que observar hiperemia nas regiões susceptíveis a formação de escaras, realizar aplicações diárias com exposição de 30 seg por ponto.

Desta forma estaremos prevenindo possíveis formação de úlcera pela melhora da microcirculação da região e uma ação anti- inflamatória induzida pela Luz vermelha.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

A fototerapia é muito bem indicada na tratamento preventivo à formação de uma úlcera de pressão ou escara. Sempre que observar hiperemia nas regiões susceptíveis a formação de hiperemia, realizar aplicações diárias com exposição de 30 seg por ponto. Desta forma estaremos prevenindo possíveis formação de ulcera pela melhora da microcirculação da região e uma ação ani inflamatória induzida pela Luz vermelha

Nos casos de lesões realisar aplicações nas bordas da ferida com exposições de 40 segs por ponto. Aplicar tanto pontos quanto necessarios para cobrir toda ferida. Resultado conseguidos após 120 dias

 
LESÕES POR TRAUMAS

A bioestimulação, obtida através do uso da luz vermelha do LED, melhora a irrigação local e favorece a drenagem, saneando o meio extracelular.

A biomodulação da luz sobre os osteoblasatos estimulam a sintetizarem colágeno e a formar assim matriz de colágeno chamado de lamela óssea.

O cálcio circulante na corrente sanguínea se encarregara de calcificar estas lamelas, formando assim um novo trabeculado, podendo consolidar fraturas em menos tempo e com melhor qualidade.

A fototerapia poderá ser realizada no trans cirúrgicos antes da sutura. Soro rico em plaquetas tem sido aplicado em associação a fototerapia com excelentes resultados, no controle inflamatório diminuição da dor e neoformação óssea e restabelecimentos de condições satisfatórias de reparação.

As aplicações de 40 seg por ponto diariamente na primeira semana e 3 vezes por semana nas semanas seguintes.

 
ÚLCERA VARICOSA E CONTROLE MICRO BIOLÓGICO

TERAPIA FOTODINÂMICA EM ÚLCERA VARICOSA

Promover a limpeza da região, corar as bactérias borrifando azul de metileno 0,2% em toda a região. Após 5 minutos irradiar com Bios Therapy ll. Aplicar tantos pontos quanto necessário para cobrir toda a área com exposição de 40 segundos por ponto.

 

Repetir a operação com azul de metileno sempre que observar contaminação com presença de exudato característico.

Realizar a fototerapia 3 vezes por semana, com exposição de 30 segundos por ponto somente com a luz vermelha durante o resto do período até sua completa cicatrização.

 

Após 15 dias de terapia observar as bordas já mais fina e a neoformação epitelial, diminuindo o tamanho da úlcera. Resultado final de cicatrização devera ocorrer após 60 a 90 dias a partir do início do tratamento.

 
PÉ DIABÉTICO

sem texto explicativo

 
PLASMA RICO EM PLAQUETAS - PRP

PRP é a sigla que representa o termo “Plasma Rico em Plaquetas” (Platelet Rich Plasma), e consiste em uma técnica que usa fragmentos celulares e células, especificamente as plaquetas e leucócitos do sangue do próprio paciente para acelerar a regeneração de uma área lesionada.

Trata-se de um procedimento simples, não imunogênico e de custo relativamente baixo. Tem sido descrito com sucessos clínicos notáveis, particularmente em Ortodontia, Cirurgia Craniofacial, Cardíaca, Plástica e na Cirurgia Ortopédica e Traumatológica.

 
QUEIMADURAS

A Fototerapia propicia alívio nas dores.

Diminui o exultado.

Acelera etapas da inflamação e reparação.

Controla a fibrose e formação de queloides.

 
SINUSITE

A sinusite é uma inflamação da mucosa dos seios maxilares e frontal, causa incômodos e dores no paciente que possuem a patologia.

Essa doença é uma inflamação que acontece nas vias respiratórias, causada por vírus, bactérias ou até mesmo certos tipos de fungos.

Esta inflamação acontece, na verdade, no seio paranasal e está diretamente ligada a alguns tipos de alergias, como a rinite e também com a inalação constante de poluentes e gases tóxicos. As sinusites podem ser do tipo: infecciosa, que vai fazer o paciente apresentar febre e secreção.

Aplicações extrabucal ou intrabucal de 10 J/cm², ou 40 seg nos seios direito e esquerdo da face e seios frontais 3 vezes por semana até o alívio dos sintomas. Os resultados acontecem a partir da terceira seção, com alívio das dores e descongestionamento dos seios maxilares e melhoras da sintomatologias.

 
TERAPIA FOTODINÂMICA

Entende-se como terapia fotodinâmica ou PDT (Photo Dynamic Therapy), como um novo e eficaz tratamento de certos tumores de pele incluindo carcinomas e lesões pré malignas. O tratamento consiste na aplicação de um creme especial (contendo ingrediente methylaminolaevulinate ou MAL, conhecido como Metvix) um procedimento no qual uma droga fotossensível não tóxica é administrada em um organismo, sendo posteriormente excitadas por uma fonte de luz na região do vermelho, induzindo as células a uma apoptose com a presença da luz, pela formação de oxigênio singleto.

O uso de moléculas fotossensibilizadoras, quando expostas a uma fonte de luz específica, captam e transferem energia para as moléculas vizinhas de oxigênio, produzindo-se assim compostos eletronicamente excitados, chamados de radicais livres, ou oxigênio singlet pela sua capacidade de produzir dano e morte celular.

As drogas fotossenssíveis podem ser administradas via endovenosa, tópica ou infiltrativa. Quando injetadas em um organismos, tem predileção por tecidos com grande atividade metabólica ou mitótica, concentrando-se onde se está desenvolvendo um tumor, um quelóide, uma degeneração ou onde esteja uma grande proliferação de vírus ou bactérias. Esta indicada na terapia de tumores neoplásicos, malignos ou não, baso celulares, áreas de quelóides, feridas e tumores em órgãos ocos tumores como no esôfago, traquéia reto etc.

Entre os fotossensibilizadores existente no mercado, os mais empregados são o Photogen, o Photofrin, e o Photoscan, todos injetáveis e derivados de hematoporfirinas. Existem ainda os cremes e os sais de ALA(acido Amino Levulínico). Metivix, pasta tópica já encontrada no mercado, já bastante utilizada.

O Azul de Metileno – composto pouco tóxico, barato e de fácil obtenção – segundo Boehncke e cols., mostra um efeito marcadamente mais forte na presença de uma fonte de luz com absorção máxima no espectro do vermelho (600-700nm).

Pelo fato de células tumorais captarem o corante com maior avidez que as dos tecidos normais e pela sua baixa toxicidade, este procedimento pode, portanto, ter larga aplicabilidade para o tratamento de tumores acessíveis à injeção da substância fotossensibilizante e à sua posterior exposição à fonte luminosa, como por exemplo, tumores de esôfago, brônquios, pele, etc.

Também é possível realizar a Terapia Fotodinâmica em bactérias, no controle microbiológico bastando corar a ferida contaminada com o azul de metileno e irradiar com uma dosagem acima de 100j/cm². Esta técnica poderá ser bastante eficiente com efeito bactericida de feridas altamente contaminadas. A intensidade da fonte de luz é muito importante na ativação da droga e até o momento esta técnica não foi muito difundida pelos altos custos das fontes de luz e da liberação para o uso das drogas fotossensíveis.

Algumas vantagens:

Terapia simples

  • Evita internações prolongadas

  • Evita mutilações cirúrgicas

  • Preserva estruturas sadias

  • Pós operatório mais rápido

  • Possibilita aplicações repetidas

  • Minimiza os efeitos colaterais de outras técnicas.

 
HERPES ZOSTER

Dividir a área em quadrantes e aplicar tantos pontos quanto necessário para cobrir cada quadrante. Tempo de exposição 40 seg por ponto. Distancia entre pontos 3 cm. Aplicações diárias em casos graves ou 3 vezes por semana.

Resultados esperados – Controle da dor, do prurido, acelera a reparação, controle da dor pós herpética, minimiza o uso de medicamentos e menor custo.

 
HIPERSENSIBILIDADE DENTAL

A sensibilidade dentária é causada por uma dor transitória, geralmente aguda e rápida, quando os dentes são expostos a estímulos gelados, quentes, doces, ácidos ou ao toque, sem que haja qualquer patologia bucal.

As principais causas da hipersensibilidade dentinária são retração gengival e abrasão dental associadas à escovação, ao acúmulo de placa bacteriana e tártaro, à fratura do esmalte dentário cervical e à erosão dental por ingestão frequente de alimentos e bebidas ácidas.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Programar tempo do equipamento Bios Therapy ll em 60 seg e aplicar sobre a face vestibular do dente com sensibilidade. Número de aplicações 1 a 3 aplicações, ou até a sua completa resolução. Poderá ser aplicado em elementos dentais preparados para prótese fixa e preparos cavitarios para restaurações.

 
ALVEOLITES

A Alveolite é uma inflamação causada pela contaminação bacteriana do alveólo dentário, que normalmente ocorre após as extrações, é acompanhada de fortes dores no local e odor fétido.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

O tratamento mais comum será, na maioria das vezes, a remoção dos resíduos do coágulo, se houver, através de uma vigorosa curetagem para promover sangramentos que possam a vir formar um novo coágulo.

A cicatrização a partir daí será por 2ª intenção, ou seja: a formação do novo osso virá de dentro do alveólo para a superfície óssea, ao contrário da cicatrização por 1ª intenção, onde o coágulo intacto permite que o alveólo seja preenchido por osso de uma forma total.

Além da curetagem, deverá ser efetuada uma cobertura antibiótica e anti-inflamatória, uma vez que o quadro de Alveolite é acompanhado quase sempre de dores fortes e edemas.

Fototerapia: Programar tempo do equipamento Bios Therapy ll em 60 seg e aplicar sobre o alvéolo, repetir esta operação por pelo menos mais 3 vezes ou até diminuir a sintomatologia. Poderá ser realizado também a fotodinâmico terapia irrigando todo o alvéolo com azul de metileno 0,2%.

Resultados esperados: As bactérias corada com o azul de metileno deverão ser inativada pela formação de oxigênio singleto, diminuindo assim a contaminação bacteriana.

A irradiação com luz vermelha induzira a uma ação anti-inflamatória diminuindo o edema e dor. A estimulação sobre o coágulo induzira as plaquetas a neoformação óssea acelerando a reparação.

 
TRAUMATOLOGIA

O trauma buco maxilo facial tem aumentado nos últimos anos em virtude principalmente da violência no trânsito e cabe ao cirurgião além de restaurar da melhor maneira possível o trauma sofrido, estar atendo as condições do pós operatório destes atos, no controle da dor e da inflamação possibilitando o seu retorno o mais rapidamente possível a sua atividades.

A fototerapia poderá ser realizada no trans cirúrgicos antes da sutura. O soro rico em plaquetas tem sido aplicado em associação a fototerapia com excelentes resultados, no controle inflamatório diminuição da dor e neoformação óssea e restabelecimentos de condições satisfatórias de reparação. As aplicações de 40 seg por ponto diariamente na primeira semana e 3 vezes por semana nas semanas seguintes.

 
PARESTESIA

A parestesia é um distúrbio neuro sensitivo causado por uma lesão no tecido neural. Manifestasse através dos nervos mentual, lingual e alveolar inferior. É decorrente de fatores como cirurgias odontológicas, fraturas mandibulares, bloqueios anestésicos. Em cirurgias buco maxilo problemas com parestesias normalmente ocorrem. A fototerapia auxilia a regeneração nervosa periférica, propiciando a recuperação sensitiva.

Com a fototerapia podemos controlar o edema e a inflamação, antecipando a reparação dos tecidos. Após a 6 sessões foi observado o retorno da sensibilidade . A Fototerapia auxilia a regeneração nervosa periférica, propiciando a recuperação sensitiva.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Após 70 dias do início da fototerapia.

Aplicações, com exposição de 60 segs por ponto, 2 pontos na região do ramo da mandíbula, intra e extra bucal, bilateral

Fototerapia no pós cirúrgico de cirurgia ortognática

Protocolo – Aplicar 60 seg por ponto em toda área cirúrgica, Distancia entre pontos 3 cm durante 60 dias 2 a 3 vezes pó semana.

Resultados: acelera reparação óssea, controla dor, edema, inflamação ,parestesia, minimiza uso de medicamentos

Paralisia e parestesias

Realizar aplicações de 90 segs na região de forames e ou de pontos gatilho, pacotes de 10 seções ou persistência da sintomatologia.

 
FOTO DINÂMICA TERAPIA NO CONTROLE MICROBIOLÓGICO

As bactérias corada com o azul de metileno deverão ser inativadas pela formação de oxigênio singleto, diminuindo assim a contaminação bacteriana, podendo ser realizado a loja cirúrgica para instalação de parafuso de implante.

A irradiação com luz vermelha induzira a uma ação anti-inflamatória diminuindo o edema e dor. A estimulação sobre o coágulo induzira as plaquetas a neoformação óssea acelerando a reparação e a ósteo integração.

 
DORES DE ORIGEM NEVRALGICAS

Classificam-se em geral na categoria de dores nevrálgicas, vários sintomas dolorosos associados a lesões de nervos periféricos. As suas propriedades são essencialmente semelhantes às da dor do membro fantasma da causalgia, e caracterizam-se por uma dor intensa e incessante, que é difícil de tratar pela cirurgia ou por outros métodos tradicionais.

Aplicações de 60 segundos por ponto na área com sensibilidade.

Nos casos de nevralgias do nervo trigêmeo, realizar ponto de aplicação com ponteira óptica na região do gânglio do trigêmeo junto a saída do forame atrás do terceiro molar superior

 
DISFUNÇÃO DA ARTICULAÇÃO TEMPORO MANDIBULAR (ATM)

A disfunção da ATM é o funcionamento anormal da articulação temporomandibular, ligamentos, músculos da mastigação, ossos maxilar-mandíbula, dentes e estruturas de suporte dentário.

A sintomatologia é dor de cabeça, dor de ouvido e/ou zumbidos, dor ou cansaço dos músculos da mastigação, ruídos articulares (estalos ou crepitação) e dificuldade para abrir a boca.

Programar tempo do equipamento Bios Therapy ll em 60 seg e aplicar sobre a região articular e um ponto dentro do conduto auditivo. Programar pacote de 10 sessões, depois da terceira sessão os resultados deverão ser notados.

Disfunção Tempro Mandibular DTM poderá se tratada realizando pontos em contato com a pele na região articular com exposição de 2 pontos de 90 segs. Realizar aplicações na musculatura envolvida se for o caso

Pacotes de 10 seções.

Resultados esperados – Alivio das dores, controle da inflamação, relaxamento musculares, retorno dos movimentos funcionais, neo formação de ligamentos, minimiza uso de medicamentos.

 
CLAREAMENTO DENTAL

A disfunção da ATM é o funcionamento anormal da articulação temporomandibular, ligamentos, músculos da mastigação, ossos maxilar-mandíbula, dentes e estruturas de suporte dentário.

A sintomatologia é dor de cabeça, dor de ouvido e/ou zumbidos, dor ou cansaço dos músculos da mastigação, ruídos articulares (estalos ou crepitação) e dificuldade para abrir a boca.

Programar tempo do equipamento Bios Therapy ll em 60 seg e aplicar sobre a região articular e um ponto dentro do conduto auditivo. Programar pacote de 10 sessões, depois da terceira sessão os resultados deverão ser notados.

Disfunção Tempro Mandibular DTM poderá se tratada realizando pontos em contato com a pele na região articular com exposição de 2 pontos de 90 segs. Realizar aplicações na musculatura envolvida se for o caso.

Pacotes de 10 seções.

Resultados esperados – Alivio das dores, controle da inflamação, relaxamento musculares, retorno dos movimentos funcionais, neo formação de ligamentos, minimiza uso de medicamentos.

 
HERPES SIMPLES

Irradiar a área por 40 segs, repetir 3 vezes por semana.

Resultados esperados – controle do prurido, controle do edema , aceleração da reparação, recidivas mais longas com menor virulência.

 
PÓS CIRÚRGICO, IMPLANTE

Aplicar 60 seg em cada cavidade alveolar antes de colocar o implante.

Aplicar em toda região cirúrgica no pós operatório 3 vezes por semana.

Resultados esperados – controle da inflamação, da dor , melhora da osteo integração, minimiza o uso de medicamentos.

 
HIPER SENSIBILIDADE E AFTAS

Aplicar 40 segs por ponto na área com hiper sensibilidade ou área ulcerada.

 
HIPERSENSIBILIDADE DENTAL

Fotografia térmica a esquerda mostra atleta com área pouco irrigada de cor amarelada.

Fotografia térmica a direita mostra área avermelhada sugerido aumento da circulação oxigenação dos tecidos e controle da acidose local após a fototerapia.

Resultados esperados após a fototerapia - Aceleração da remoção do acido lático após o exercício, controle da acidose, melhora da oxigenação, controle da inflamação, da dor podendo ser identificado pela presença da proteína CK, melhora da atividade física do atleta.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Programar tempo do equipamento Bios Therapy ll em 60 seg e aplicar sobre a face vestibular do dente com sensibilidade. Número de aplicações 1 a 3 aplicações, ou até a sua completa resolução. Poderá ser aplicado em elementos dentais preparados para prótese fixa e preparos cavitarios para restaurações.

 
ALVEOLITES

A Alveolite é uma inflamação causada pela contaminação bacteriana do alveólo dentário, que normalmente ocorre após as extrações, é acompanhada de fortes dores no local e odor fétido.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

O tratamento mais comum será, na maioria das vezes, a remoção dos resíduos do coágulo, se houver, através de uma vigorosa curetagem para promover sangramentos que possam a vir formar um novo coágulo.

A cicatrização a partir daí será por 2ª intenção, ou seja: a formação do novo osso virá de dentro do alveólo para a superfície óssea, ao contrário da cicatrização por 1ª intenção, onde o coágulo intacto permite que o alveólo seja preenchido por osso de uma forma total.

Além da curetagem, deverá ser efetuada uma cobertura antibiótica e anti-inflamatória, uma vez que o quadro de Alveolite é acompanhado quase sempre de dores fortes e edemas.

Fototerapia: Programar tempo do equipamento Bios Therapy ll em 60 seg e aplicar sobre o alvéolo, repetir esta operação por pelo menos mais 3 vezes ou até diminuir a sintomatologia. Poderá ser realizado também a fotodinâmico terapia irrigando todo o alvéolo com azul de metileno 0,2%.

Resultados esperados - As bactérias corada com o azul de metileno deverão ser inativada pela formação de oxigênio singleto, diminuindo assim a contaminação bacteriana.

A irradiação com luz vermelha induzira a uma ação anti-inflamatória diminuindo o edema e dor. A estimulação sobre o coágulo induzira as plaquetas a neoformação óssea acelerando a reparação.

 
GRANULOMA (UNHA INFECCIONADA)

Ocorre devido a compreção dos dedos por calçados apertados ou introdução de um corpo estranho de qualquer natureza numa região da pele, em qualquer (Onicocriptose). Esta lesão traumática desenvolve-se rapidamente, causando na área muita dor, mas é muito frequente como complicação de um quadro de unha encravada.

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Promover a limpeza da região, realizar procedimentos convencionais da podologia. Programar o aparelho Bios Therapy ll com 60 seg, aplicar em cada unha, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

 
CALCANHARES RACHADOS

Também conhecidos como “fissuras nos calcanhares”, são feridas que afetam a camada externa da pele chamada epiderme. Esse processo ocorre devido ao ressecamento da pele dos calcanhares que sofre com a pressão do peso do corpo. As rachaduras nos calcanhares também aparecem devido à falta de zinco e ácido ômega3 no organismo. 

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Promover a limpeza e hidratação da região, realizar procedimentos convencionais da podologia.

Programar o aparelho Bios Therapy ll com 40 seg, aplicar em 3 pontos na região do calcanhar, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

A fototerapia ira favorecer nutrição celular da região, melhora da circulação e controle da inflamação local favorecendo a síntese de colágeno e cicatrização, minimiza a sintomatologia e suaviza a pele da região.

 
CONTROLE DA INFLAMAÇÃO

Promover a limpeza e hidratação da região, realizar procedimentos convencionais da podologia.

 

Programar o aparelho Bios Therapy ll com 40 seg, aplicar em 3 pontos na região superior do dedo e 3 pontos na região inferior do dedo, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

A fototerapia ira favorecer nutrição celular da região, melhora da circulação e controle da inflamação local, minimiza o uso de medicamentos favorece a síntese de colágeno e cicatrização. A reeptelização se dá por segunda intenção sem fibrosamentos.

 
ONICOMICOSE

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Promover a limpeza, remover parte da unha sem aderência realizar procedimentos convencionais da podologia. Corar toda a borda contaminada por fungo com corante azul de metileno 0,2%, esperar alguns minutos para sua completa difusão pela área contaminada.

 

Programar o aparelho Bios Therapy ll com 60 seg, aplicar sobre a unha comprometida.

Repetir esta operação por três vezes. Avaliar os resultados por pelo menos 60 dias realizando aplicações 2 a 3 vezes por semana realizando aplicações somente com a luz vermelha sem o corante.

 

O micro organismo marcado com azul de metileno e irradiado com a luz vermelha do equipamento Bios Therapy ll ira sofrer uma ação reativa de oxigênio singleto e levado a morte, as aplicações seguintes serão para fortalecer o sistema imunológico e a nutrição da unha para sua raiz embrionária tenha maior resistência e sintetize nova unha com matriz sadia.

 

Com o contínuo crescimento da unha a porção comprometida vai sendo eliminada.

 

Limpar toda a unha contaminada e solta, aplicar azul de metileno 2% em toda a área comprometida. Irradiar a luz vermelha do Led por 5 minutos. Repetir o procedimento por 3 vezes. Retorno a cada 15 dias durante 90 dias.

 

Resultados esperados – A luz estimulara o corante a liberar oxigênio reativo que fixara na membrana do fungo levando este a uma apoptose Desta forma faremos um controle microbiológico sem a necessidade de antibióticos . Com o passar do tempo a unha devera crescer e eliminar a área contaminada.

 
FASCITE PLANTAR

A fascite plantar é uma inflamação (inchaço, dor, e vermelhidão) da fáscia plantar, causando dor e desconforto. Seu aparecimento podem ser atribuídos a:

  • Stress repetido sobre o ligamento no arco do pé

  • Ter uma perna mais comprida que a outra

  • O arco do pé não se dobra o suficiente

  • Obesidade ou sobre peso

  • Ter os músculos e os tendões da barriga da perna tensos


PROTOCOLO DE TRATAMENTO


Programar o aparelho Bios Therapy ll com 60 seg, aplicar em 3 pontos ou mais pontos na região comprometida, usar a ponteira do aparelho com uma ligeira pressão sobre a pele, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 a 20 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

 

A fototerapia ira favorecer nutrição celular da região, melhora da circulação e controle da inflamação local , estimula hormônios como serotonina e endorfinas melhorado a sintomatologia dolorosa.

 
TENDINITES

São acometimentos inflamatorios em consequência de traumatismos nas áreas dos tendões e respectivas fáscias (membranas envoltórias destes). Estes casos podem gerar dor variando de muito intensa a moderada e algumas vezes inchaço (edema), dificuldade de movimento e outras manifestações associadas.

As causas mais comuns das tendinites são as entorses ou torções provocadas normalmente por quedas, acidentes, contusões esportivas, movimento com pesos inadequadamente, impactos e esforço físico além da capacidade do indivíduo, entre outras similares.

 

Fototermia, mostra área mais vermelha comprometida com inflamação e dor. Frequentemente causadas por entorses, provocam inchaço e impossibilidade de caminhar normalmente e/ou pisar ao chão.

 

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Programar o aparelho Bios Therapy ll com 60 seg, aplicar em 3 pontos ou mais na região comprometida, procurar seguir as regiões anatômicas para realizar as aplicações, usar a ponteira do aparelho com uma ligeira pressão sobre a pele, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 a 20 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

TENDINITES

São acometimentos inflamatorios em consequência de traumatismos nas áreas dos tendões e respectivas fáscias (membranas envoltórias destes). Estes casos podem gerar dor variando de muito intensa a moderada e algumas vezes inchaço (edema), dificuldade de movimento e outras manifestações associadas.

As causas mais comuns das tendinites são as entorses ou torções provocadas normalmente por quedas, acidentes, contusões esportivas, movimento com pesos inadequadamente, impactos e esforço físico além da capacidade do indivíduo, entre outras similares.

 

Fototermia, mostra área mais vermelha comprometida com inflamação e dor. Frequentemente causadas por entorses, provocam inchaço e impossibilidade de caminhar normalmente e/ou pisar ao chão.

 

PROTOCOLO DE TRATAMENTO

Programar o aparelho Bios Therapy ll com 60 seg, aplicar em 3 pontos ou mais na região comprometida, procurar seguir as regiões anatômicas para realizar as aplicações, usar a ponteira do aparelho com uma ligeira pressão sobre a pele, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 10 a 20 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

 
PODOLOGIA CIRÚRGICA

Em determinadas patologias, seja pela sua evolução, recidivância ou gravidade é necessário proceder-se a uma pequena cirurgia para se conseguir alcançar resultados satisfatórios e permanentes no tempo.

Programar o aparelho Bios Therapy ll com 60 seg, aplicar na região cirúrgica, repetir esta operação duas a três vezes por semana por 5 seções ou prosseguir com o tratamento até sua completa melhora.

A fototerapia ira promover melhora da sintomatologia do pós operatório e acelerar etapas da cicatrização e o alívio da dor reintegrando o paciente as suas atividades em menor tempo.

 

ENDEREÇO

 

Rodovia Presidente Dutra, km 138, C.E II - sala 1202 - 12247-004 - São José dos Campos-SP

CONTATOS

 

Telefone: +55 (12) 3876-7713

Celular:+55 (12) 98211-9602

comercial@biosind.com.br

  • Facebook
  • Instagram

© Agência Happier, 2020